Texto: O que você não pode responder



Sei que já passou muito tempo, mas eu tenho algumas perguntas que não foram respondidas. Eu era muito jovem para ter o coração quebrado. Sim, eu sei que eu corria o risco. Sim, eu sei que uma hora eu poderia quebrar meu coração. Mas você se importou? Você ligou? Por que você não se importou?  Esses não são nem mesmo metade dos meus questionamentos. E eu sei que não deveria ligar. E eu sei que já deveria ter me convencido que essas perguntas não vão ter resposta. Mas mesmo assim não posso deixar de me questionar quando as lembranças invadem minha mente com força. Quando mais uma vez me condeno por ter confiado em você. Por ter acreditado que as coisas pudessem ser diferentes. Mas que boba eu sou por acreditar que as coisas realmente tivessem mudado. Você sabe muito bem a influência que teve sobre minha vida, sobre meus sentimentos e sobre mim. Eu te dei tudo que pediu e muito mais. Minhas lágrimas, meus sentimentos, meu sangue e minha confiança. No final, só ficou meu coração e por pouco você não levou ele contigo também. E se tivesse levado como eu estaria agora? Como eu estaria respirando, como eu estaria sobrevivendo? Aposto que você não saberia me responder. Aposto que você não saberia o que dizer. 

Não foi você que sentiu o coração quebrar dentro do peito. Não foi você que se viu transformada drasticamente em alguém que desconfiava de cada pessoas que aproximava. Que tinha inseguranças bobas que controlava fortemente para que não percebessem. Eu nunca mais fui a mesma depois de você. Você me transformou em algo que eu nem ao menos sei dizer o que é agora. Antes, eu não tinha problemas em confiar tanto em alguém. Antes, eu não tinha problemas em gostar tanto de alguém. O que foi exatamente que você fez? Eu estive ao seu lado quando todo mundo me dizia pra estar contra. Eu fui contra tudo que eu concordava para acreditar que você valia a pena, para acreditar que aquilo era verdadeiro. Você desistiu mais rápido do que eu esperava. Quer dizer, eu não esperava. Não mesmo. Tanto que fui inconsequente e fiz coisas fora do meu alcance pra ter de volta. Coisas das quais me arrependo agora. Coisas que eu sei que não faria de novo sob nenhuma circunstância.  Me diga quem você acha que é. Me diga por que achou que teria o direito de tirar meu estado de espírito e trazer a tona lembranças que eu nem queria reviver. Só pra depois fazer o mesmo que fez. Só pra depois me fazer me odiar por ter dado o espaço que você queria. Por ter dado um fiapo de confiança pra você pelo que tínhamos vivido. Eu estou aqui. 



Eu fiquei aqui quando você virou as costas e me deixou sozinha em um dos piores momentos da minha vida. Um dos momentos que eu não queria ficar sozinha. Você sabia disso. Você sabia mais do que qualquer um já soube. E isso te faz o mais babaca de todos. E isso te faz o pior de todos. E isso te faz o meu maior arrependimento. Então, eu tenho algumas perguntas pra você. Eu tenho questões que nunca serão resolvidas. Foi culpa minha? Sente minha falta? O que sentimos foi verdadeiro? Chega de me questionar. Chega de lembrar de alguém nem ao menos merece ser lembrado. E sim, eu fui verdadeira. E sim, eu fui o melhor que eu podia ser pra você. Não foi o suficiente. E não teria sido por mais que eu mais me esforçasse. Era pra ser assim. 

Um comentário:



Topo